Instituições de Ensino
Instituto Português de Administração de Marketing - The Marketing School Cursos 24 Horas Grupo iPED - Instituto Politécnico de Ensino a Distância Brava Cursos - Gobe Business CPT - Centro de Produções Técnicas Aulas a Distância Master-D Centro Universitário Augusto Motta
Facebook Twitter Orkut Google
Críticas e Sugestões Anuncie seu curso!
Universidade Federal do Pernambuco

Universidade Federal do Pernambuco

Comentários
Sem votos
-
- Revisões
Custo
Aceitação de Mercado
Duração
Professores
Dificuldade
Ambiente
Universidade Federal do Pernambuco

A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) é uma das melhores universidades do País, em ensino (graduação e pós-graduação) e pesquisa científica, sendo a melhor do Norte-Nordeste, segundo avaliações dos Ministérios da Educação (MEC) e de Ciência e Tecnologia (MCT).

As avaliações levam em consideração, para a graduação, os índices de desempenho dos alunos no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), a estrutura das instituições e o investimento em professores e nos cursos, reunidos agora no Índice Geral de Cursos (IGC), e da titulação e produção científica dos professores da pós-graduação – pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), estas duas avaliações do MEC.

Em 2010, a UFPE manteve-se como a melhor universidade do Norte e Nordeste do País na graduação, tendo alcançado nota de 350 no Índice Geral de Cursos (IGC), instituído em 2008, o que a coloca como a 23ª universidade do País, entre instituições públicas e privadas. A UFPE obteve conceito 4, pelo terceiro ano consecutivo.

O resultado do Censo 2008 do Diretório dos Grupos de Pesquisa no Brasil, realizado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), do MCT, coloca a UFPE em 7º lugar em números de grupos de pesquisa entre as universidades do País. A Universidade tem um total de 464 grupos de pesquisa.

Nos últimos anos, com apoio do Governo Federal, a UFPE expandiu a sua atuação – hoje são três campi, localizados no Recife, em Vitória de Santo Antão e em Caruaru – e ampliou sua interação com a sociedade, criando novos cursos em atendimento a demandas sociais e econômicas, aumentando vagas em cursos tradicionais e oferecendo oportunidades focadas no novo cenário econômico do Estado.

No período de 2005 a 2011, foram criadas 2.320 vagas em cursos de graduação, passando de 4.425 vagas para 6.705 vagas em 2011, num crescimento de mais de 50%. Neste período, 26 cursos foram implantados, entre eles Cinema, Arqueologia, Museologia, Dança, Sistemas de Informação, Engenharia de Materiais, Engenharia de Energia e Engenharia Naval. O crescimento é decorrência, principalmente, de dois programas do Ministério da Educação: o de Interiorização do Ensino Superior e o de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni). Somente os investimentos do Reuni estão injetando na UFPE R$ 221,5 milhões até 2012.

Infraestrutura

A UFPE reúne mais de 40 mil pessoas, entre professores, servidores técnico-administrativos e alunos de graduação e pós-graduação, distribuídos em três campi: Recife, Caruaru e Vitória de Santo Antão. Além da excelência de seus recursos humanos, a Universidade se destaca por sua infraestrutura física, que está em franca expansão. As edificações em construção irão acrescentar 12.367,60 m² à área construída da UFPE. O destaque são os três blocos compartilhados por dois centros cada um, em construção no Recife, para abrigar salas de aula, laboratórios, entre outros espaços.

No Campus Recife, são mais de 40 prédios, entre eles a Reitoria, nove Centros Acadêmicos, oito Órgãos Suplementares, Centro de Convenções, Concha Acústica, Clube Universitário, Creche, Casas dos Estudantes Masculina e Feminina e o Restaurante Universitário.

Fora do campus, no Recife, encontram-se o Centro de Ciências Jurídicas, o Núcleo de Televisão e Rádios Universitárias, o Centro Cultural Benfica, o Memorial de Medicina e o Núcleo de Educação Continuada. No Interior, estão o Centro Acadêmico do Agreste, em Caruaru, e o Centro Acadêmico de Vitória de Santo Antão, localizado na Zona da Mata Norte.

Graduação

A Universidade oferece 95 cursos de graduação presenciais distribuídos em 12 centros e mais três cursos de graduação a distância (545 vagas em cursos de licenciaturas). Em 2005, eram oferecidos 65 cursos de graduação.

Em 2006, foram criados quatro cursos no novo campus de Caruaru: Administração, Pedagogia, Engenharia Civil e Design. Em 2007, tiveram início três cursos em Vitória: Ciências Biológicas, Enfermagem e Nutrição. Em 2009, 530 vagas foram oferecidas em 14 novos cursos: Cinema, Dança, Gestão da Informação, Ciências Atuariais, Arqueologia, Ciência Política/Relações Internacionais, Museologia, Engenharia de Alimentos, Engenharia de Alimentos e Oceanografia, no Recife; e Engenharia de Produção e Licenciatura em Química, em Física e em Matemática, em Caruaru.

Em 2010, foram 80 novas vagas em três novos cursos: Sistemas de Informação e Engenharia de Materiais, no Recife; e bacharelado em Educação Física, em Vitória. E em 2011, mais 65 vagas em dois novos cursos: Engenharia Naval, no Recife; e Licenciatura em Educação Física, em Vitória.

Pós-Graduação

Atualmente, são oferecidos 116 cursos de pós-graduação stricto sensu (sendo 65 Mestrados Acadêmicos, seis Mestrados Profissionais e 45 Doutorados, além de 64 cursos de pós-graduação lato sensu - especializações).

Em 2010, foram iniciados oito novos cursos de pós-graduação, entre os quais o Mestrado em Engenharia Civil e Ambiental (o primeiro a funcionar no Campus Caruaru), os Mestrados em Biotecnologia Industrial e em Enfermagem e o Mestrado Profissional em Administração, o Doutorado em Design, o Mestrado e o Doutorado em Biologia Aplicada à Saúde e o Mestrado em Artes Visuais.

Em 2011, terão início dois novos mestrados acadêmicos, que formam os Programas de Pós-Graduação em Educação e em Economia, ambos em Caruaru.

Pesquisa

Em suas pesquisas, a UFPE tem focado as áreas tidas como estratégicas para o Estado e para a região: Petróleo e Gás; Energia e Biomassa; Bioengenharia e Engenharia Naval; Meio Ambiente; Fármacos e Medicamentos; Nanociência, Nanotecnologia e Materiais Avançados; Metrologia Arqueológica e Patrimonial; Informática; Ciências Humanas e Sociais; e Ciências da Saúde. Somente no âmbito do CT-Petro (fundo setorial financiado pela Financiadora de Estudos e Projetos – Finep – do Ministério da Ciência e Tecnologia), desenvolve mais de 50 projetos, por meio de 12 redes de pesquisa, envolvendo diversos centros.
 


Avaliações
Graduação

Em relação ao Índice Geral de Cursos (IGC), avaliação instituída pelo MEC, em 2008, que considera os resultados relativos ao Conceito Enade e o Conceito Preliminar de Curso (CPC), duas avaliações distintas e complementares para os cursos de graduação, a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) manteve-se como a melhor universidade do Norte e Nordeste do País. A Universidade alcançou nota de 350 no IGC 2009, o que a coloca como a 23ª universidade do País, no ranking nacional das universidades, que traz 180 instituições, sendo 92 públicas e 88 privadas. O índice foi divulgado em janeiro de 2011 e considera dados referentes a 2009.

Esta avaliação reúne índices de desempenho dos alunos e também avalia a estrutura das instituições e o investimento em professores e nos cursos. Foram concedidas notas de 0 a 500 para universidades, centros universitários e faculdades, e conceitos de 1 a 5. A UFPE obteve conceito 4, pelo terceiro ano consecutivo.

No Enade 2008, do total de 21 cursos avaliados da UFPE, três obtiveram a maior nota (5) – Letras, Física e Arquitetura e Urbanismo – e outros dez receberam a nota 4: Matemática, Biologia (Recife), Pedagogia, História, Filosofia, Bacharelado em Ciência da Computação, Engenharia da Computação, Engenharia Civil, Engenharia Mecânica e Engenharia de Produção. Já os cursos de Química, Ciências Sociais, Engenharia Eletrotécnica, Engenharia Química e Engenharia de Minas receberam nota 3. Geografia e Engenharia Cartográfica tiveram nota 2. O curso de Biologia (Vitória de Santo Antão) não recebeu conceito no Enade e nem no CPC, porque não contou com alunos concluintes.

Já em relação ao CPC, 13 cursos ficaram com nota 4: Letras, Física, Arquitetura e Urbanismo, Matemática, Biologia (Recife), Pedagogia, História, Ciências Sociais, Bacharelado em Ciência da Computação, Engenharia da Computação, Engenharia Civil, Engenharia Mecânica e Engenharia de Produção. A nota 3 foi dada aos cursos de Química, Filosofia, Engenharia Eletrotécnica, Engenharia Química e Engenharia de Minas. Geografia e Engenharia Cartográfica também tiveram nota 2 no CPC.


Pós-Graduação

Com média 4,21, a UFPE destacou-se na avaliação trienal (2007-2009) dos cursos de pós-graduação do País realizada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) do Ministério da Educação, como melhor universidade do Norte e Nordeste. Divulgada em janeiro de 2011, a média da UFPE inclui cursos novos não avaliados (cinco mestrados e um doutorado). Ao todo, foram considerados 62 cursos (classificados como mestrado/doutorado e mestrado profissional), sendo que 14 obtiveram o conceito 3; 23 tiveram conceito 4; 23, conceito 5; e dois conseguiram conceito 6.

O resultado coloca a UFPE em 8º colocação nacional, abaixo da Unicamp (média 5,40), USP (média 5,16), UFRJ (média 5,04), UFRGS (média 5,03), UFSC (média 4,58) e Unesp (média 4,45), e à frente da UnB (média 4,20). Caso não sejam incluídos no cálculo os novos cursos não avaliados a média da UFPE passa para 4,32. A UFPE possui dois cursos com conceito 6 (Ciência da Computação e Física), 23 cursos com conceito 5, 22 cursos com conceito 4 e 9 com conceito 3.

Pesquisa

De acordo com o Censo 2008 do Diretório dos Grupos de Pesquisa no Brasil, realizado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), divulgado em agosto de 2009, a UFPE é a sétima melhor universidade do País em número de grupos de pesquisa, totalizando 464 grupos de pesquisa na Universidade, que representam 2% do total nacional. Do total de 2.339 pesquisadores da UFPE, 1.816 são doutores. Ao todo, foram inventariados 22.797 grupos de pesquisa no País.

Nas últimas avaliações realizadas pelo CNPq, a UFPE registrou um aumento do número de grupos cadastrados, passando de 164, em 1997, para 273, em 2000; chegando a 334, em 2002. Em 2004, havia 354 grupos de pesquisa na Universidade. Em 2006, havia 387 grupos de pesquisa.

Universidade Federal do Pernambuco
Gostaria de cursar Universidade Federal do Pernambuco?
Informe-se.
Ianara Cavalcanti
Ianara Cavalcanti
Sala de atendimento
Comentário (opcional):

Deixe o seu comentário!

FB Facebook Feed